Degustando o Charuto

 

A ARTE DA DEGUSTAÇÃO

Degustando o Charuto Onde Degustar

Também levando-se em conta que seus momentos de degustação podem ocorrer no íntimo de sua casa, fazenda ou escritório, cabe lembrar que os charutos tem sido associados com status, estilo e prazer de alto nível social e econômico, por isso, observe alguns detalhes de como transformar sua degustação em momentos de prazer e, é claro, arma de sedução.
A degustação de charutos favorece os encontros e as conversas, até mesmo entre as pessoas mais tímidas pois a ato de degustar charuto requer um tempo especialmente dedicado a ele, por isso, favorece a descontração e a aproximação das pessoas.

 

 

Acompanhamentos

Charutos não devem ser degustados durante as refeições e sim após a sobremesa, a final da refeição completa.
Você verá como é extremamente relaxante acender seu charuto prefeiro depois de uma refeição, após a sobremesa.
Não existe um prato ideal para anteceder a degustação de um charuto, o charuto serve como complemento à refeição.
Petiscos podem ser consumidos durante a degustação, como no caso de eventos e reuniões. Haverá o gostinho do petisco em sua boca ao degustar o charuto, esse gostinho poderá se mesclar ao sabor do charuto e poderá agradar ou não, isto vai variar de pessoa a pessoa e de um tipo de charuto para outro, pois as impressões não precisam ser necessariamente iguais.



A Fumaça

É mais penetrante e aromática do que a fumaça do cigarro, assim, certifique-se de que a fumaça não está indo em direção a pessoas que se encomodem com o fato.
Jamais trague a fumaça de um charuto para dentro dos pulmões, pois isto ocasionará tosses, irritações na garganta e tonturas. Charutos não foram feitos para serem tragados e sim para que os aromas e sabores das folhas sejam mesclados em sua boca.
A fumaça mais consistente dos charutos permite "brincadeiras", como fazer anéis de fumaça, porém, certas ocasiões formais não permitem tais brincadeiras ou o costume de se exalar a fumaça pelas narinas, principalmente para as mulheres.

 

Preliminares (como cortar)

Para degustar um charuto é necessário fazer um pequeno corte na "cabeça" do charuto, ou seja, no lado que fica em contato com a boca. Alguns charutos
precisam ser cortados também no lado que vai ser aceso.
Para cortar corretamente seu charuto, utilize uma ferramenta própria de corte como uma guilhotina ou tesoura bem afiados. O corte correto permite que a
fumaça flua corretamente do charuto para a boca, sem a necessidade de muito esforço pulmonar e com a fumaça na temperatura correta, ou seja, não muito
quente.
Para o corte do lado da "cabeça", procure posicionar sua guilhotina, ou tesoura, a cerca de meio centímetro da ponta, ou um pouco menos, e faça o corte.
Evite cortar a "cabeça" inteira pois a folha externa de acabamento da cabeça também segura o conjunto das folhas externas que suportam todo o revestimento do charuto, e se você cortá-la, o charuto poderá se desenrolar e abrir.
Não fure o charuto ao invés de cortá-lo pois o furo, além de pequeno e proporcionar pouca passagem para a fumaça, comprime o conteúdo interno do charuto e vai alterar a degustação.
Usar os dentes para cortar o charuto além de deselegante tem outras desvantagens pois os dentes não são tão afiados como as lâminas de uma guilhotina ou tesoura, assim, o corte será irregular; mais um "rasgo" do que um corte, e você ficará com tabaco na boca e terá que se livrar dele.

 

Degustação

A fim de confirmação citamos: pessoas doentes, mulheres grávidas e crianças não devem fumar.
 

Certifique-se de que é permitido fumar no local.
É muito importante que se mantenha um clima harmônico durante sua degustação, evitando incomodar outras pessoas com seu charuto e, lembre-se, muitas pessoas ficam realmente incomodadas com a fumaça, e isto deve ser levado em consideração.
 

Momentos de degustação tranquila podem ser feitos em sua própria casa, porém, se você não mora só é boa idéia perguntar às outras pessoas se a fumaça as incomodaria.
Assim como em um restaurante onde seja permitido fumar, é sempre gentil e útil a fim de evitar transtornos causados pelos fortes aromas exalados pela fumaça dos charutos que se pergunte às mesas ao lado se as pessoas se importam se você acender um charuto e, caso eles se importem, evite confusão e ceda à preferência da maioria.
 

Apesar de toda essa preocupação com as outras pessoas em volta de você, não desista! Isso fará com que suas degustações sejam ainda mais valorizadas por você.
Nos eventos de degustação e nos "lounge" de charutos você poderá ter momentos agradáveis e exclusivos de degustação junto com amigos, amigas e clientes. Os locais especiais de degustação, como os "lounges", possuem um ambiente climatizado e equipamentos de reciclagem de aromas, equilibrando-os.
 

Quando em um evento, tenha sempre por perto os acessórios úteis a uma perfeita degustação: cortador, isqueiro e porta charuto. Não se esqueça de, antes de acender um charuto, procurar saber onde está o cinzeiro.
Como já citamos antes, podemos observar a qualidade de um charuto durante a degustação, assim, podemos identificar um bom charuto observando a sua cinza. Via de regra se a cinza é bem clara: ótimo. Se é preta ou amarronzada, na certa houve problemas no envelhecimento.
 

As cinzas que alcançam entre 2 e 3 centimetros sem cair, garantem folha e cobertura de alta qualidade. Ao repousar a cinza no cinzeiro observe se a brasa da ponta se manteve ardente e nítida, isto indica densidade uniforme do miolo.
 

Cuidado com a cinza dos charutos, elas são muito quentes e podem facilmente provocar queimaduras se tocarem a pele, cabelos ou mesmo peças de vestuário.
Nunca acenda um charuto durante as refeições; faça-o após a sobremesa e com o concenso dos outros comensais. Se é você quem está oferecendo o jantar, ofereça também os charutos e um humidificador para seus convidados após a sobremesa.

 

Bebidas

As bebidas a serem servidas durante uma degustação podem ser várias, existindo as mais indicadas, que são:

Armagnac: bebida destilada da uva. Guarda mais o sabor da uva. Muito similar ao Cognac pois trata-se da mesma bebida destilada apenas uma vez. Sua melhor procedência é a região de Cognac e Armagnac, na França.
 

Cognac: bebida bi-destilada de uva, cuja melhor procedência também é a região de Cognac e Armagnac, na França. Assim como no caso dos charutos, um Cognac bem envelhecido acentua sua qualidade e sabor. Alguns Cognac são envelhecidos por até 70 anos. Grandes marcas são: Couvosier, Hennessy Paradis, Martell Extra e Remy Martin Louis XIII.
 

Grappa: bebida de origem italiana, muito forte e que tem como origem a uva. A Grappa deve ser bebida com moderação, podendo ser comparada à nossa cachaça
brasileira em termos de potencial para provocar um rápida embriaguês.
 

Marc: quando as uvas são preparadas para a elaboração da Grappa, os fabricantes utilizam o subproduto restante para fazer a Marc, geralmente para consumo próprio familiar. Uma bebida bastante rara, portanto, se tiver oportunidade de apreciá-la durante uma degustação, aproveite.
Pinga: nossa brasileiríssima pinga, ou cachaça, ou caninha ou uma infinidade de outros nomes e apelidos regionais, é um destilado da cana-de-açúcar e pode ser encontrada com uma variedade de colorações e qualidade. As boas pingas de alambique tem coloração amarelada e sabor suave apesar de serem bebidas de forte teor alcoólico.
 

Rum: bebida destilada do melaço de acúcar, cuja verdadeira origem não são as Ilhas do Caribe, e sim a Ásia, onde a bebida já era produzida mil anos antes de Cristo. O Rum originário de Porto Rico é mais leve, enquanto que os de origem de Barbados, Ilhas Virgens e Jamaica são mais fortes e de coloração mais escura. O rum é perfeito para acompanhar uma desguatação de charutos. Os degustadores profissionais de charuto tomam um gole de rum entre um charuto e outro para limpar o pálato bucal e preparar o paladar para um novo sabor de charuto.
 

Schnapps: chamada de "pinga alemã". Bebida forte, destilada e vendida geralmente em pequenas doses como mini-garrafas de cerca de 60ml.
Tequila: bebida de forte sabor, destilada de uma planta de origem mexicana, chamada Agave Tequilana Weber. Exótica, algumas tequilas são vendidas com um pequena lagarta de nome Guzano, que repousa no fundo da garrafa.
Vinho do Porto: bebida fermentada em sua maior parte, com adição de destilados como Cognac. Grande tradição e temática de confrarias, o Vinho do Porto por sí só representa um ritual de degustação e preparo. Os melhores vinhos do Porto vem da Região de Vale D'Ouro, em Portugal, onde os produtores fabricam o verdadeiro Porto, com selo de origem e controle anual de safras das vinhas locais chamadas de "quintas", qualificando-as de 0 a 10, sendo 10 a perfeição máxima da bebida. O envelhecimento do Porto pode levar até 50 anos, no caso de vinhos Vintage (especiais). Grandes marcas de Vinho do Porto são Croft, Fonseca e Quinta do Noval.
 

Whisky: bebida muito conhecida em nossos círculos sociais, o Whisky, também chamado de "Scotch", é um belo parceiro e complemento para sua degustação. Será necessário encontrar dentro da grande variedade de sabores e aromas das inúmeras marcas existentes, o Whisky que mais lhe agrada com cada tipo de charuto a ser degustado. Na opinião de especialistas, os Whiskies são melhor apreciados ao natural, sem adição de água, gelo ou sodas, pois assim mantém suas propriedades originais de paladar e aroma. Os whiskies americanos, ou Bourbons, com malte e destilados de milho, também fazem um belo acompanhamento ao charuto.

 

Origem do melhor Whisky: Escócia.
Hálito Agradável

Charutos tem aroma e sabor marcantes, e essas marcas ficam no hálito, no cabelo, nas mãos, nas roupas e no ambiente da degustação; não se preocupe: a
vantagem é que esses aromas são fáceis de serem removidos e os charutos não causam ressaca.
Para tirar o gosto e hálito de charuto de sua boca, escove os dentes inclusive escovando a lingua e o céu da boca. Se possível faça um gargarejo com
higienizadores bucais.

 

Como Acender

A etiqueta da degustação do charuto sugere que homens e mulheres devem acender charutos de formas diferentes, elegantes de acordo com a masculinodade e a femilidade dos pares; no caso das mulhreres primeiro deve se aquecer a ponta, mantendo-a a conveniente distância da chama, levemente inclinado para se obter um aquecimento uniforme e só então levá-lo à boca para que a sucção forme a brasa.
 

Aos homens é permitido acender o charuto diretamente na boca, fazendo a sucção enquanto a chama permanece, porém a forma de acender, com a chama a distância conveniente do charuto, prevalece.
Se a chama encostar no charuto irá queimar o tabaco e as folhas externas ao ponto de carvão e isto estragará o charuto pois alterará seu paladar por toda a degustação.
 

Utilize um acessório correto para acender seu charuto. Um isqueiro apropriado ou fósforos longos (veja o capítulo "Acessórios"). O combustível que produz a
chama pode passar aromas estranhos para o charuto. Quando a brasa começar a pegar você pode levá-lo à boca ou assoprar a parte em brasa para certificar-se do acendimento correto.
Quanto maior o calibre de seu charuto mais tempo você levará para acendê-lo.
Há a possibilidade de que a queima ao longo da degustação aconteça de forma irregular, ou seja, que um lado queime mais rápido que outro mesmo no caso de um correto acendimento, fazendo com que a cinza fique com a base inclinada; se isto acontecer, infelizmente não há o que fazer a menos que você repouse seu charuto para que ele apague sozinho, corte a parte já degustada e acenda novamente, mas lembre-se : um charuto já aceso nunca vai ser tão agradável como um charuto novo e, se possível, não acenda novamente o mesmo charuto em um evento social; você pode até guardá-lo apropriadamente em seu porta charuto para
posterior degustação em ambiante menos formal.
 

Quanto mais clara a cinza, melhor o charuto. A cinza mais clara advém da queima de magnésio, mineral ricamente encontrado nos melhores solos onde se plantam o tabaco, porém, muitos fabricantes de charutos de baixa ou mediana qualidade enriquecem suas folhas de tabaco já colhidas com magnésio, garantindo, assim, uma boa aparência da cinza. Um bom charuto de calibre maior poderá segura a cinza por até 3 cm de comprimento.
 

Preste bastante atenção à cinza e não a deixe cair sobre roupas ou pele pois ela é bastante quente e, portanto, queima. Periodicamente bata seu charuto sobre o cinzeiro, evitando que a cinza ultrapasse os 2cm de comprimento. Se a cinza cair sobre a roupa sua, ou de outra pessoa, não se preocupe pois diferentemente do cigarro comum, o charuto é feito somente de tabaco, sem papel ou outros agentes químicos, portanto sua cinza é somente pó e vai sair com uma leve aspirada ou simples lavada. A cinza do charuto não deve manchar sua roupa.

 

Como Apagar

Você pode sentir vontade de apagar seu charuto ou ainda, pessoas por diversos motivos podem solicitar a gentileza de você apagar seu havana no melhor momento de sua degustação.
 

Seu charuto apagará sozinho se você o deixar repousando, sem levar à boca e degustá-lo. Sua brasa se reduzirá e ele irá se apagar em cerca de 10 minutos.
Claro que esta tempo varia de charuto para charuto, qualidade a qualidade.
Ao deixar que seu charuto apague corretamente você poderá utilizar sua guilhotina, cortador ou tesoura para cortar a parte queimada e a cinza, conservando o restante do charuto para posterior degustação. Não se preocupe, isto faz parte da etiqueta de fumar charuto, além de preservar um gasto a mais por conta do desperdício. Apenas não conserve o charuto que já foi parcialmente degustado junto a outros charutos novos, guarde-os de forma apropriada, seja em caixa separada seja em outro porta charuto e fume-o depois. Guardando-os em separado dos charutos novos garante-se que os aromas da queimado charuto já degustado não adulterem as propriedades dos charutos novos, prejudicando-os alterando seu gosto.
 

Evite apagar o charuto como se faz com cigarro, ou seja, apertando a parte em brasa contra o cinzeiro ou, pior, jogando-o ao chão e pisando. Um charuto
apagado indevidamente exala um forte cheiro pior que o de cigarro apagado.

 

Como Comprar

Charutos podem ser adquiridos em sua tabacaria ou charutaria preferida, em eventos de degustação, em Free-Shops de aeroportos ou pela Internet.
Caso você não saiba o tipo de charuto que quer adquirir, peça sugestão a quem lhe atende na loja, dizendo as características de tamanho e intensidade do charuto que deseja, além da procedência e, talvez, faixa de preço. É sempre interessante iniciar com charutos menores.
 

A escolha do tipo, marca e tamanho é muito pessoal e até que se consiga definir a preferência são necessárias repetidas degustações e quem preferir começar pelos mais suaves deve evitar os charutos cubanos que costumam ser mais fortes.
 

Quando for adquirir uma caixa inteira de charutos atente para os seguintes detalhes ao abrir a caixa e verificá-la por dentro:

Os charutos devem ter todos a mesma coloração e formato uniforme entre o conteúdo de uma caixa ou embalagem.
A caixa de madeira também deve ter coloração uniforme, sem manchas que possam denunciar acúmulo de humidade ou outros elementos.
Retire um dos charutos da caixa e aperte-o ligeiramente : o charuto deve retornar a sua forma original.
 

Na compra de unidades individuais cheque o seguinte:
As folhas externas devem estar brilhantes e sem danificações, cortes ou rachaduras.
As folhas externas não devem ter veios muito proeminentes.
O Charuto não pode estar ressecado.
Como Conservar

Charutos não podem ficar ressecados.
Um charuto precisa de temperatura e umidade ideais para manter sua qualidade.
Luz em excesso também prejudica a condição ideal de um charuto. A temperatura deve estar entre 15 e 20 graus Celsius e a umidade do ar entre 60% e 70%.
Umidificadores são caixas forradas internamente de cedro, uma madeira ideal para conservação das propriedades de umidade e temperatura dos charutos. Muito embora esses artefatos ajudem e muito na conservação da qualidade dos charutos, muitos especialistas recomendam que não se guarde charutos por mais de 2 meses em umidificadores, consumindo-os ao longo deste período, esta opinião, no entanto, varia entre os especialistas; alguns afirmam categoricamente que ao longo de pelo menos 6 meses os charutos devidamente armazenados mantém seus óleos e suas propriedades aromáticas e degustativas.
 

Casas especializadas na quarda de charutos, na mesma proporção que adegas especializadas em vinhos finos, mantém salas especiais onde a temperatura e a umidade são controladas e os clientes.
A manutenção e limpeza do interior do umidificador deve ser feita periodicamente com vinagre branco diluído em água e depois deixado para secar à luz do sol, evitando mofo.
 

Algumas pessoas quardam seus charutos em vasilhas plásticas hermeticamente fechadas, tipo Tupperware; não recomendado.

 

 

 

Fazendo a melhor escolha na hora da degustação

 

Fazendo a melhor escolha na hora da degustação

Por: Cesar Adames

  

  

Tudo que tem a ver com o paladar é subjetivo. Esta afirmação também vale para os charutos: uns preferem mais suaves; outros preferem mais encorpados. Na verdade, os fatores que levam à escolha de um charuto dependem da "força" do prato servido na refeição, do nosso estado de ânimo, do sabor que procuramos. Buscamos variedade e, por isso, nem sempre fumamos o mesmo charuto. Um dos grandes mestres no mundo dos charutos foi Zino Davidoff, falecido em 1995, que dizia que há uma ocasião para cada charuto e há um charuto para cada ocasião. Vem daí, por certo, a variedade interminável de sabores, tamanho, diâmetros... Discutir os méritos de um sobre o outro, por sinal, faz parte do prazer de fumar. De todo modo, existem algumas regras gerais que convém observar na escolha do charuto mais apropriado para cada hora do dia. O Taste preparou abaixo algumas sugestões para cada período:

Começamos pela manhã - As horas da manhã combinam melhor com um charuto mais leve, de preferência um Panatela, que se fuma rápido e não irá incomodar o paladar. Este tipo de charuto é também recomendado para mulheres a qualquer hora do dia. Sugestões: Cohiba Panetelas, Montecristo Joytas, Montecristo No. 5, Davidoff Ambassatrice, Macanudo Ascots e Don Pepe Slim Panatela.

Após o almoço - Devemos escolher o charuto que melhor combine com a comida servida. Se a refeição teve carnes e molhos fortes, escolha um charuto mais pesado e encorpado. Lembre que o charuto pós-almoço não deve interferir na sua capacidade de trabalho, especialmente durante a semana. Sugestões: Montecristo No. 1, Partagas 8-9-8, Hoyo de Monterrey Epicure No. 1, Macanudo Duke of Devon, Alonso Menendez 8-9-8, Davidoff Special "R".

Para o fim de tarde - Assim como pela manhã, caem melhor os charutos leves. É importante ressaltar que não se deve fumar mais que um ou dois charutos médios entre o almoço e o jantar. Seja cuidadoso, pois fumar demais irá destruir suas habilidades para diferenciar gostos e aromas. Sugestões: Montecristo No. 4, Romeo y Julieta Cedros de Luxe No. 3, Macanudo Petit Coronas, Dona Flor Robusto.

Charutos para depois do jantar - Depois das tradicionais bebidas como licor, conhaque, vinho do porto ou café forte, vem a hora de degustar um excelente charuto. Geralmente deixamos para após o jantar um charuto no padrão Churchill ou Double Corona, que irão proporcionar mais de uma hora e meia de prazer e satisfação. Caso você queira fumar mais que um charuto após o jantar, lembre-se de desgustar primeiro o mais suave e depois o mais forte, para evitar que o sabor de um deles seja perdido. Sugestões: Cohiba Lanceros, Partagas Lusitánias, Romeo y Julieta Churchill, Cohiba Esplendidos, Davidoff Aniversário No. 1, Dona Flor Double Corona.

  

  

Artigo Relacionado: Preserve seus Charutos

 
  
  
    
 
  

Copyright © Artdesigner Samuel.Todos os direitos reservados

Conheça nosso Show Room: Marque um horário conosco para visita.

Endereço: Rua José Oiticica, 226   Jardim Itapema   São Paulo - SP    Cep: 03578-080    

referencia: próximo ao Shopping Aricanduva